Redução de palavras facilita a língua. Mas isso tem nome, sabia? É APÓCOPE.

0
14

Ao longo do tempo a língua portuguesa incorporou muitas transformações fonéticas que são aquelas sofridas pelos vocábulos pelo seu uso social, que é sempre dinâmico. As alterações podem ocorrer através da supressão, adição ou mudança de fonemas, modificando bastante a estrutura, ou seja a forma final das palavras. Entre as modificações mais comuns está a “famosa” apócope.

Sabemos que a língua portuguesa é proveniente do latim, assim como sabemos também que muitas foram as modificações ocorridas até que nosso idioma chegasse à forma como hoje ele se apresenta. Essas alterações, feitas na passagem da língua latina para a língua portuguesa, obedecem a três leis fonéticas. Observe algumas dessas mudanças do latim para o português:

ad (latim)  a (português)

amare (latim)   amar (português)

et (latim)   e (português)


male (latim)   mal (português)

mare (latim)   mar (português)

Algumas transformações foram absorvidas pela língua padrão, enquanto continuam na linguagem informal do dia a dia. Eis alguns exemplos que, de tão comuns, já se tornaram dicionarizados e, com isso, as pessoas em geral desconhecem a forma original e completa da palavra.

Pneu: é forma reduzida (ou apocopada) de pneumático.

Recém: é forma reduzida (ou apocopada) de recente.

Cine: é forma reduzida de cinema que, por sua vez, já é uma redução de cinematógrafo.

Moto: forma reduzida de motocicleta.

Metrô: forma reduzida de metropolitano.

Rádio: forma reduzida de radiodifusão.

São: forma reduzida de santo.

Bel: forma reduzida de belo (Ex.: “Ela faz tudo a seu bel prazer”).

Tão: forma reduzida de tanto.

Cem: forma reduzida de cento.

Foto: forma reduzida de fotografia.

Extra: forma reduzida de extraordinário.

Há outras formas apocopadas que aparecem em linguagem mais formal e quase somente na forma escrita como “mui”, que vem de “muito”, “grão”, que vem de “grande” ou “quão”, que vem de “quanto”.

Algumas palavras estão a caminho e já sendo encurtadas no dia a dia por todo mundo. As pessoas em geral preferem falar somente “note” ao invés de “notebook”, “micro” em vez de “microcomputador”, “neura” em vez de “neurótico” ou “coca” em vez de “coca-cola”.

No “internetês” este fenômeno linguístico já é muito comum, mas vem se acentuando muito nas redes sociais Eis alguns exemplos do que é usado hoje por internatutas: Bpn: forma reduzida de “bom para nós”; Dmr: forma reduzida de “demorou”; Rs: forma reduzida de “risos”; ou Tmj: forma reduzida de “estamos juntos”.

(*) Marcos Lock é jornalista profissional com licenciatura em Letras/Português pela Universidade Federal de Rondônia. Suas dúvidas podem ser encaminhadas para o whatsapp 9.9328-1521 ou para o e-mail [email protected] 

Se quiser saber mais ouça neste link as explicações do conceituado professor PASQUALE CIPRO NETO em sua coluna diária na rádio CBN.

https://m.cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/a-nossa-lingua-de-todo-dia/PASQUALE-CIPRO-NETO-A-NOSSA-LINGUA-DE-TODO-DIA.htm



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here