O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transportes Urbano (Sitetuperon), Francinei Oliveira, informou na manhã desta sexta-feira (17), que respeita a decisão dos trabalhadores que atenderam ao chamado do Consórcio SIM para retornarem ao posto serviço, mesmo sendo anunciado na tarde de quinta-feira (16), durante uma audiência no TRT da 14ª Região, que a maioria iria pedir rescisão indireta, decidida em assembleia realizada no sindicato.

Segundo o presidente, os trabalhadores retornaram ao posto de trabalho por imposição da Justiça do Trabalho. “Os funcionários voltaram porque foram pressionados e a Justiça não deu outra opção para eles. Muitos não saem da empresa porque são de idade e tem medo de não conseguir outro emprego numa nova empresa que for operar o sistema, mas nós respeitamos a decisão deles, e vamos lutar para que esses e os demais que optaram pela rescisão indireta, recebam seus direitos”, disse Francinei Oliveira.

Ainda segundo o presidente, durante a audiência, a Prefeitura se omitiu a tentar resolver o problema. “Infelizmente a gente viu a total omissão por parte do poder público, o município não se manifestou nenhuma vez durante a audiência para tentar resolver a situação”, diz.

Durante uma entrevista a uma emissora de televisão nesta manhã, o representante do Consórcio SIM, Marcelo Cavalcante, informou que irá fazer novas contratações para preencher o quadro de funcionários, já que parte dos trabalhadores optou pela rescisão indireta. “Eu acho que é um insulto para os trabalhadores porque durante a audiência ele disse que não tem recurso e agora quer contratar funcionários. A luta não parou por aqui, nós vamos batalhar pelos trabalhadores porque a nossa reivindicação é apenas para receber os nossos direitos”, ressaltou Francinei Oliveira.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here