Entrada ilegal de bolivianos no Brasil pode trazer contágio do Covid-19 a rondonienses

0
22

O portal Rondônia Dinâmica, de Porto Velho,  teve acesso, com exclusividade, a um documento de caráter restrito e que já aportou na Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec/RO), pasta gerida atualmente por José Hélio Cysneiros Pachá.

O relatório, revelado por fonte palaciana que não quis se identificar, diz respeito à determinada investigação deflagrada pela Polícia Militar (PM/RO). Registrado no dia 25 de março, o documento revela que a PM/RO recebe, geralmente no período eleitoral, denúncias dando conta de que “políticos e candidatos a cargos eletivos têm se favorecido de uma prática ilegal”.

Essa prática, ainda de acordo com a instituição, é resumida através da ação de trazer bolivianos de comunidades ribeirinhas (Remanso, Piso Firme, Bela Vista, dentre outras) ao município de Pimenteiras do Oeste, cidade que faz divisa com a Bolívia.

“[…] e com falsas declarações de residência emitem documentos brasileiros, dentre eles o título de eleitor, com único objetivo de compra de votos, visto que os ribeirinhos das referidas comunidades vivem em situação de extrema pobreza e trocam seus votos por pequenos favores ou quantias”.

A Polícia Federal (PF) chegou a atuar fazendo operações de repressão à postura ilícita narrada, porém, assevera dado encartado ao relatório,  que “recentemente” o expediente criminosos regressou ao panorama na cidade.


Três cidadãos estariam transportando os bolivianos a Pimenteiras “e os abrigando em uma casa, com o fim de fazerem o Cadastramento Biométrico”. A preocupação, por outro lado, gira em torno da pandemia voltada à deflagração de casos do Coronavírus em Rondônia.

 

A própria população de Pimenteiras do Oeste passou a entrar em contato com a PM/RO através do 190 denunciando rotineiramente a entrada ilegal dos bolivianos no Brasil. O trio de piloteiros é mencionado mais uma vez de maneira objetiva: segundo a narrativa, eles estariam chegando na cidade de madrugada e com os barcos lotados de bolivianos, os abrigando em residências diversas espalhadas pelo município fronteiriço.

A situação foi denunciada pelo secretário municipal de Saúde, que procurou a PM/RO em Pimenteiras para cobrar providências. Isto, visto que a “Saúde local sofreu aumento de sua demanda nas mais diversas situações e há  preocupação com um possível colapso [no sistema de atendimento]”. O titular da pasta receia não ter condições de atender à sociedade local caso haja avanço agudo no COVID-19 na região.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here