Afogamentos aumentaram 30% em Rondônia de janeiro a setembro em relação a 2019

0
20

Aumentou o registro do número de mortes por afogamento em balneários em Rondônia. Os Dados do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia apontam que de janeiro a setembro de 2019, 41 casos foram notificados. Em 2020, 53 pessoas já morreram afogadas desde janeiro, 30% a mais que no mesmo período do ano passado. A Polícia Militar é responsável pela fiscalização nos balneários e alerta sobre o cumprimento das medidas de proteção à vida, conforme decreto de calamidade pública, nesse período de pandemia.

“Infelizmente, são inúmeros os casos de mortes por afogamento em todo o Estado, principalmente no período de estiagem, em que ocorrem a seca dos rios e a formação de praias nas margens, assim como a formação de bancos de areia, que dão uma falsa impressão de que o local é raso”, garante o major Clivton Rodrigo Carvalho Reis, comandante do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS).

É preciso lembrar que na Fase 3 a abertura de balneários e clubes recreativos continuam proibidas.

PRINCIPAIS RIOS

As regiões dos rios com maiores incidências de casos por afogamentos no Estado, segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia, são os da região do rio Madeira, no entorno de Porto Velho; Região do rio do Jamari, no entorno de Ariquemes; e região do rio Machado, no entorno de Ji-Paraná.


DICAS DE SEGURANÇA DO CORPO DE BOMBEIROS

1 – Nunca deixar uma criança sozinha, sem a supervisão de um adulto. Ensine as crianças que nadar sozinhas, sem ninguém por perto, é perigoso.

2 – Não entrar na água após ingerir bebidas alcoólicas e comer demasiadamente.

3 – Se não souber nadar, evite entrar na água, mas se entrar, procure tomar banho próximo de guarda-vidas ou postos de salvamento e mantenha-se sempre próximo da margem.

4 – Quando observar alguém precisando de ajuda, procure um guarda-vidas ou um material flutuante para jogar até a pessoa, pois as pessoas inabilitadas para salvamento, geralmente morrem afogadas também.

5 – Respeite as placas de advertência, que indicam os locais perigosos.

6 – Evite entrada brusca nas águas após longa exposição ao sol, o risco de choque térmico e desmaio são grandes.

7 – O colete salva-vidas é o equipamento mais seguro para evitar afogamentos, boias e outros equipamentos infláveis passam uma falsa segurança, podem estourar ou virar a qualquer momento;

8 – Crianças e adolescentes devem ser alertados sobre os riscos das águas, antes de começar o passeio.

9 – Crianças pequenas podem se afogar em qualquer recipiente com água, seja um balde, bacia, banheira e piscina infantil, por isso depois do uso, mantenha-os vazios e virados para baixo, mantenha a tampa do vaso sanitário baixada, assim como a porta do banheiro, da lavanderia, das cisternas e outros locais de armazenamento de água sempre trancados.

10 – Piscinas devem ser protegidas com cercas ou capas, que garantem mais proteção, mas não eliminam o risco de acidentes;

11 – Grite por socorro se você perceber que irá se afogar, ou se não estiver se sentindo bem, não tenha vergonha;

12 – Quando estiver nadando, não lute contra a correnteza, nade no sentido diagonal.

13 – Exija guarda vidas nos balneários e piscinas para garantir a sua segurança e de sua família.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here